“Libélula” conta a história de um seminarista gay

Psicanalista escreve romance baseado em experiências de pacientes.

Marcos Lacerda atua há mais de duas décadas como psicanalista em João Pessoa, na Paraíba. E decidiu usar das experiências vividas nesse tempo como fonte de inspiração para o seu novo romance “Libélula” (Editora Pontes). O livro conta a história de José, um jovem seminarista que se descobre gay e começa a questionar sua religiosidade, enquanto expressa suas dúvidas, medos e experiências em um diário.

livro-libelula-marcoslacerda

Segundo o autor a religião afeta diretamente a vida afetiva e psicológica das pessoas e o contato que teve, em anos de clínica, com padres, freiras e outras pessoas com fortes ligações religiosas serviram de base para criar a história de José. Essas pessoas acabavam questionando aquilo que sentem  e o estilo de vida escolhido e buscavam  ajuda pelo fato de viverem constante conflito.

“O religioso que se percebe homossexual se sente vivendo em pecado, e é algo absurdo, como se fosse conflitante ter olhos azuis (…). A instituição religiosa tem função de controle social por meio da culpa, afinal, nada controla mais o ser humano do que a culpa”, diz Marcos.

Com o lançamento do livro, Marcos também pretende contribuir com a Literatura LGBT. Uma tentativa de romper o atrelamento da literatura homoerótica ao sexo, conforme ele mesmo diz, afirmando que sexo é só uma parte e a literatura LGBT precisa de mais qualidade literária, assim como histórias e personagens mais profundos.

VEJA TAMBÉM:
• SEM PALAVRAS, romance lésbico baseado na troca de e-mails entre duas mulheres, é lançado em SP
• Deus odeia viados!
• Livro revela momentos íntimos de soldados na II Guerra Mundial

Veja entrevista com o autor Marcos Lacerda no programa Sexo Sem Máscara.

Por Felipe Baraldi